Plataforma SporTI
Notícia - 06/11/2020 às 19:25:58
VOLTA ÀS AULAS: 5 DICAS PARA REABRIR SUA ESCOLA DE ESPORTES COM SEGURANÇA
Confira os principais protocolos para a retomada segura das atividades presenciais na sua escola de esportes

Por AMANDA SOUZA
BETIM, MG
Retorno das atividades deve ser feito seguindo protocolos de segurança (Foto: Shutterstock/Reprodução)

Decretos de flexibilização da quarentena já estão vigentes em vários estados do país há algum tempo e, por isso, não seria apressado dizer que o cenário atual do esporte é de retomada. Dito isto, é hora de planejar-se para recuperar os alunos, conquistar novos e reabrir a sua escola!

A volta das atividades físicas presenciais deve seguir um protocolo de cuidados básicos para garantir um ambiente seguro para alunos e funcionários. Para ajudar você a atender a todos os requisitos para uma retomada em segurança das aulas, preparamos este artigo!

Boa leitura!

1. Siga os protocolos básicos de segurança

O mundo está passando por uma pandemia e isso só quer dizer uma coisa: todos temos que nos certificar de fazer a nossa parte para conter ao máximo o avanço do novo coronavírus. Por isso, ninguém deve negligenciar a importância de colocar em prática os protocolos básicos de segurança difundidos pela Organização Mundial da Saúde.

Sua escola de esportes deve fazer isso a partir de ações como:

  • aferição da temperatura na portaria;

  • distribuição e orientação sobre o uso obrigatório de máscaras aos colaboradores;

  • álcool em gel 70% e sabonetes líquidos nos locais de treinamento e competições;

  • redução da quantidade de alunos durante as atividades. 

Reforce que o seu compromisso com a segurança de todos depende da colaboração de cada um e faça lembretes constantes da importância de adotar esses cuidados. Use cartazes e folders para ajudá-lo nessa tarefa.

2. Adeque o local e as formas de praticar as atividades

Além de mudanças na rotina dos colaboradores e alunos da sua escola de esportes, alguns ajustes nos espaços e nas maneiras de conduzir as atividades físicas podem ser bem úteis. 

Na entrada, recomenda-se que sejam retiradas cancelas ou catracas para evitar que alunos encostem nestas superfícies com as mãos. Caso não seja viável, a entrada deverá ser liberada por funcionário que utilize equipamentos de proteção individual. 

O fluxo em direção a estes locais devem ser unidirecionais, com sinalizações de distanciamento e de ambientes proibidos. 

Os espaços de treinamento devem comportar, no máximo, 10 pessoas em uma área de, no mínimo, 60m². Isso significa que você precisará fracionar as turmas em grupos menores para conduzir os treinos com mais segurança. O local ainda deve ter uma boa circulação do ar, com portas e janelas constantemente abertas, sem o uso de ar-condicionado. 

Além disso, alguns ambientes devem ter circulação restrita de pessoas para evitar aglomerações, como as áreas de convivência, salas de espera e guarda-volumes. 

3. Limpeza e higienização

Na entrada, as escolas devem oferecer dispositivos para limpeza e secagem de calçados e álcool em gel ou pias para lavagem das mãos. Durante os treinos, os equipamentos de uso coletivo como colchonetes, barras, colchões, tapetes e outros devem ser higienizados a cada sessão. 

As superfícies tocadas com mais frequência como mesas, maçanetas, interruptores, torneiras, corrimão, pias e dispositivos eletrônicos, devem ser evitadas ao máximo pelos alunos e colaboradores, além de higienizadas constantemente.

A entrega de kits, coletes e outros os equipamentos deve ser feita em embalagens individuais, devidamente higienizadas e desinfetadas. 

4. Medidas de proteção individual

Equipamento indispensável para proteção individual, a máscara deve ser usada por todos os alunos, pais e funcionários nos locais de treinamento e competição. O ideal é que a retirada seja permitida apenas durante os treinos pelos alunos participantes. 

Já mencionamos esse cuidado, mas vale reforçar: antes dos treinos, os alunos devem passar pela aferição da temperatura. Aqueles com 37,8º ou mais podem ser impedidos de realizar a atividade.

Por fim, o compartilhamento de objetos e itens pessoais como garrafas d'água, talheres, toalhas e uniformes deve ser proibido. Caso utilizem o bebedouro, a escola deve ser fornecer copos descartáveis e vedar o uso da torneira diretamente pela boca. 

5. Medidas de proteção coletiva

Algumas escolas se reinventaram durante o lockdown com aulas online ou treinos por videoconferência para os alunos. Agora, neste momento de retomada, os treinos coletivos podem acontecer desde que respeitem os cuidados citados neste post.

Além deles, vale outra recomendação: o retorno às atividades coletivas deve ser feito de forma gradativa, com treinos mais curtos nas primeiras semanas. Grupos de risco (maiores de 60 anos, cardiopatas, doentes pulmonares crônicos, etc) devem aguardar um período após o início das atividades para retornar.

Outra boa medida de proteção coletiva é a orientação para que os alunos, durante os treinos, busquem manter distância dos companheiros e evitem o contato físico a todo custo especialmente tocar as mãos ou abraçar. 

Nossa última dica é fazer um controle diário com horários de entrada e saída de atletas e colaboradores: assim você poderá conter o avanço do vírus notificando as pessoas que correm risco caso algum caso de Covid-19 se confirme.

Estamos atravessando um período delicado e, ao mesmo tempo, preparando a volta às aulas de esporte e às atividades essenciais da nossa rotina. Iniciativas como a que citamos neste post, aliadas a diversas outras, têm como objetivo garantir a segurança e o bem-estar de toda a comunidade esportiva que orbita a sua escola. Faça sua parte!

Gostou deste conteúdo? Compartilhe-o nas suas redes sociais e ajude mais pessoas a retornar às atividades esportivas com sabedoria!